AWS ou Azure: qual é a melhor nuvem?

AWS ou Azure: qual é a melhor nuvem?

Você está procurando uma comparação que mostre qual nuvem é melhor? AWS ou Azure?

Então é muito importante começar esta leitura tendo em mente que cada nuvem tem suas vantagens e desvantagens. E os usuários têm isso a seu favor. Se uma nuvem é melhor para armazenar determinada aplicação, o melhor é utilizar essa opção. Se é preciso armazenar determinados arquivos e isso será melhor em outra nuvem, melhor utilizar a outra.

O comparativo não tem a intenção de dizer que esta ou aquela é melhor, mas sim mostrar, de forma facilitada, as diferenças, vantagens e desvantagens das duas gigantes AWS e Azure.

Espero que tenha encontrado o comparativo entre nuvens que procurava! Boa leitura!

Conhecendo melhor essas gigantes

Antes de tudo, convido você a baixar um PDF Comparativo AWS e Azure. Nele, há especificações das diferenças entre as nuvens AWS e Azure de forma mais técnica. Este artigo e o PDF se complementam para que você possa tirar suas dúvidas. Clique aqui para baixar o Comparativo.

Agora que você já tem o comparativo AWS e Azure em PDF, vamos começar.

A AWS começou a oferecer serviços de infraestrutura na nuvem em 2006. Hoje, líder no mercado, a Amazon Web Services oferece uma plataforma de infraestrutura confiável e escalável, com diversas zonas de disponibilidade (data centers) localizadas em regiões geográficas espalhadas ao redor do mundo.

A Azure também está presente em múltiplas regiões. Oferece serviços de infraestrutura e execução de aplicativos na nuvem. Teve início em 2010 com nome de Microsoft Azure e, em 2014, foi renomeada Azure e passou a oferecer redundância de armazenamento de dados, o recurso chamado Zone Redundant Storage (ZRS). Além disso, uma nova opção de serviço para quem não exige serviços de balanceamento de cargas.

Alguns pontos em comum entre a AWS e Azure:

  • Autonomia e provisionamento
  • Escalabilidade instantânea
  • Segurança
  • Conformidade
  • Gerenciamento de identidade

Baixe o Comparativo AWS e Azure

Implementação

A AWS fornece uma plataforma facilitada para criação e disponibilização de aplicativos. Segundo a Amazon, em menos de 20 minutos, você estará trabalhando com a Amazon Web Services (AWS) usando a plataforma de sua escolha. Cada uma das plataformas a seguir disponibiliza um código de exemplo para que você comece a utilizar a AWS o mais rápido possível”.

A Azure fornece vasto material de apoio inicial e guias detalhados. Possui recursos como Service Fabric & Container Services, que são ótimos para a criação de aplicativos, o que deu o título de melhor no que se diz respeito à IaaS. Além disso, tem ótimas opções para hospedagem de aplicativos.

Conformidade

A AWS tem alto nível de regulamentação e cumpre normas de conformidade. Porém defende a ideia: “Gaste menos tempo com conformidade e ganhe mais tempo conduzindo seus negócios”, isso significa que leis e regulamentos de conformidade são aplicáveis de acordo com a necessidade do cliente, bem como região em que atua.

A Azure tem alto nível de regulamentação, acima de outros provedores. Eles têm certificações: ISO/IEC, CSA/CCM, ITAR, CJIS, HIPAA, IRS1075, além de cumprir normas de conformidade internacionais específicas que são aplicadas independentemente da necessidade ou vontade do cliente. O princípio é cumprir a conformidade. Por esse motivo, é bastante utilizada por governos.

E quando se trata de código aberto?

Quando o assunto é código aberto, sem dúvida, a AWS sai na frente. Há várias integrações disponíveis na plataforma, como Jekins e GitHub. A AWS faz várias contribuições para projetos de código aberto, como Linux, Chromium, Xen e Apache MXNet.

Já a Microsoft ainda está no começo quando o assunto é integração com aplicativos em código aberto. Mesmo permitindo algumas tecnologias como, por exemplo, o SQL Server sendo executado em Linux, a Microsoft ainda está no início em relação à utilização e integração do código aberto. Mas está caminhando. Red Hat Enterprise Linux e os clusters Apache Hadoop já podem ser executados na Azure, por exemplo.

Armazenamento

O armazenamento de ambos fornecedores é muito parecido e de alto nível de segurança e confiabilidade.

A AWS oferece armazenamento temporário, que tem início na criação da máquina e se encerra quando ela é excluída. Também oferece armazenamento em bloco, o EBS, que pode ser separado das outras instâncias. Ele tem as opções IOPS padrão e provisionado. Para armazenar objetos, disponibiliza o S3, no qual são armazenados dentro de recursos chamados de “buckets”.

Além dessas opções, oferece também o Amazon Glacier, que tem menor custo e é mais indicado para armazenar backup. Outra opção é o AWS Storage Gateway, que integra o ambiente de TI local com a infraestrutura de armazenamento da AWS.

O SimpleDB disponibiliza o serviço de banco de dados NoSQL para menor quantidade de dados, e promete reduzir o trabalho na administração do banco de dados.

A Azure oferece o armazenamento de Blobs, que serve para armazenar e recuperar grandes quantidades de documentos e arquivos. Disponibiliza três opções de armazenamento e replica os dados armazenados para que haja redundância.

O Queue é o armazenamento em filas, de grande quantidade de mensagens, que permite configurar e disponibilizar o compartilhamento dos arquivos por rede, e podem ser compartilhados de qualquer lugar.

O Azure File oferece armazenamento de arquivos para aplicativos. Os dados podem ser acessados via API de armazenamento de arquivo.

O armazenamento Files é indicado para compartilhamento de arquivos, e podem ser gerenciados na nuvem e acessados por meio de protocolo SBB. Podem ser implantados localmente ou nas nuvens Windows, Linux ou macOS.

O Armazenamento de Arquivos da Azure, o Archive, é indicado para dados menos acessados e com requisitos de latência flexíveis. É uma opção mais em conta da Azure para armazenar dados.

Rede

Uma das opções que a AWS oferece é o VPC, que permite criar uma rede virtual de forma isolada. A partir da VPC, é possível criar sub-redes, gateways, endereços de IP privados etc. Além disso, tem integração com vários outros serviços AWS.

Dentre as opções da Azure, está a VNET, que possibilita a criação de redes isoladas, sub-redes, gateways, tabelas, rotas e IPS privados. Além disso, os recursos do Azure implantados em uma rede virtual podem se comunicar entre si usando endereços IP privados.

AWS X Azure para desenvolvedores

Para quem utiliza Windows Server, SQL Server, Exchange ou outras tecnologias Microsoft, a Azure gera facilidade. Assim como publicar aplicativos no Azure App Services ou Cloud Services, e gerenciar servidores é muito mais fácil para desenvolvedores .NET.

Mas a AWS também suporta Windows, SQL Server e outras tecnologias utilizadas por desenvolvedores .NET. Ela pode ser a melhor opção também para os casos de alguns recursos essenciais para desenvolvedores que precisem de recursos específicos não encontrados na Azure.

Preço

Além da variedade de opções, esse é mais um dos benefícios que os clientes têm hoje em dia. A competitividade entre os fornecedores proporciona economia.

Em questão de preço, as duas são bem equivalentes, então depende muito do serviço contratado.

As formas de cobrança da AWS podem ser:

  • On-demand: O cálculo é feito em cima de horas ou segundos utilizados (no mínimo 60 segundos) e somente as instâncias EC2 que forem utilizadas;
  • Instâncias reservadas (RIs): O preço por hora é fixo, independentemente do uso, e existe um prazo pré-determinado de contratação. Essa forma de pagamento tem o benefício de obter desconto, uma vez que o cliente tem o compromisso de um a três anos;  
  • Instâncias spot: Por serem instâncias extras, ou seja, instâncias de capacidade extra na Nuvem AWS, o preço é muito mais atrativo. Por outro lado, se o EC2 precisar de capacidade, o cliente que utiliza Instância Spot será notificado 2 minutos antes que suas instâncias serão interrompidas.

As formas de cobrança da Azure podem ser:

  • On-demand: Seus custos são realizados em cima dos minutos utilizados. Neste modelo, não é necessário compromisso de tempo mínimo de contratação. Como o pagamento é feito de acordo com a utilização, é possível aumentar e diminuir recursos sem limite.
  • Contrato pré-definido: Como um determinado tempo de utilização é acordado, o custo é reduzido.
  • Acordo empresarial: Nessa modalidade, o pagamento é realizado antecipadamente, por esse motivo, há benefícios e desconto. O uso adicional é pago de forma separada, mas com desconto nas taxas.

Qual é a melhor: AWS ou Azure?

Como vimos, as duas são excelentes opções, oferecem disponibilidade, segurança e conformidade. Os serviços são similares e as formas de cobrança também.

Os serviços oferecidos pela Amazon fazem com que isso seja visto como sua grande qualidade, porém, esse também pode ser seu ponto fraco. Conhecer e gerenciar a complexidade da AWS é algo bastante difícil, até mesmo para os melhores profissionais de TI.

A Azure tem integração com outros serviços da Microsoft, o que facilita o trabalho e desenvolvimento de aplicações. Então se o seu caso é esse, além das integrações, a Microsoft oferece descontos. Mas é menos indicada para aplicações críticas, então é bom avaliar esse ponto.

Se a empresa já utiliza ambiente e produtos Microsoft, a Azure seria a melhor opção por conta da familiaridade, integrações e descontos. Agora, se o que precisa de é alta escalabilidade mesmo, o ideal seria optar pela AWS.

Então devo usar as duas?

A utilização da nuvem tem uma verdade que muitos profissionais de TI esquecem – ou desconhecem – que é: a possibilidade de aproveitar o melhor de cada provedor. Ser dependente é ultrapassado. A concorrência melhora a qualidade, permite personalização, melhores produtos, economia e, consequentemente, crescimento e sucesso.

A empresa pode ter necessidades diferentes, então, nesse caso, o melhor seria optar pelas duas nuvens – ou mais -, por que não? A utilização de mais de uma nuvem é uma estratégia multicloud, ou seja, permite aproveitar o melhor de cada fornecedor.

Talvez possa ocorrer a pergunta: “mas gerenciar uma nuvem já é complexo, como seria gerenciar duas?” Bem, a resposta é: use uma solução que integre as nuvens para você!

O CloudFlex da CentralServer é uma solução que remove completamente qualquer complexidade do gerenciamento de várias nuvens ou vários servidores. É uma ferramenta multicloud que permite que você tenha total controle dos recursos e custos das suas nuvens.

Já baixou o PDF com o comparativo técnico?

Baixe agora mesmo para complementar sua leitura!

Gostou desse conteúdo?

Fique atualizado recebendo gratuitamente nossos artigos diretamente no seu email

(Visualizado 2.963 vezes, 1 vezes visualizado hoje)